No princípio era o Caos

Imagem de capa, Caos

Em uma das versões do mito de criação, pertencente a mitologia grega, Caos é o deus primevo que deu origem a tudo o que existe.

“O Caos é a personificação do vazio primordial, anterior à criação, quando a ordem ainda não havia sido imposta aos elementos do mundo” [1].

Segundo o Dicionário Inglês Oxford, a palavra “caos” tem origem grega e seu significado original foi:

“Um vasto golfo ou fenda; o abismo, espaço vazio, escuridão infinita, o primeiro estado do universo.”. O “vazio sem forma” da matéria primordial, o “grande vazio” ou “abismo” a partir do qual o cosmos ou ordem do universo evoluiu” [2].

A associação do Caos com a desordem foi feita pelo poeta romano Ovídio, que viveu entre os anos 43 AEC e 18 EC. Atualmente, a interpretação popular do caos como sinônimo de desordem é controversa. Segundo Edgar Morin, o caos não é desordem, mas sim “a unidade genésica indistinta que precede a ordem e a desordem” [3].

O Caos é dotado de energia prolífica, ou seja, tem a capacidade de gerar abundantemente. É um mar de infinitas possibilidades, impregnado de fertilidade, possuindo os gérmenes de todas as coisas. Ele concebe através da cisão, presidindo a força de repulsão. O Cosmos (a totalidade do Universo ordenado), ao contrário, preside a força de atração.

“Pensemos no Caos como um estado absolutamente desprovido de limites. A divindade que submete o Caos o faz “mutilando-o”, ou seja, emprestando-lhe a Forma. Trazer a Ordem consiste, em outras palavras, em impor limites àquilo que não os tem. O Caos, como substância amorfa, possui a potencialidade de todas as formas, e impor a Ordem nada mais é que dar contorno a todas as coisas. (…) Impor limites sempre equivalerá a “mutilar” alguma coisa” [4].

Em diversas mitologias encontramos a representação do deus despedaçado, mutilado, ferido – a partir do qual a criação do mundo se inicia. Temos, por exemplo, Ymir, na mitologia escandinava; Pan-Ku, na mitologia chinesa; Purusha, nos vedas. Todos eles são um símbolo do deus que faz o sacrifício (sacro-ofício, ou seja, fazer o sagrado) – correspondendo à unidade que se fragmenta para dar origem à multiplicidade de todas as coisas.

“Deus está morto!” – Nietzsche [5]

Divisor

Em meio ao texto, irei colocar alguns vídeos e traduções de letra de música que, para mim, se relacionam com o assunto tratado.

Starset – Let it Die

Papa Roach – Last Resort

Divisor

Em verdade, em verdade vos digo que, se o grão de trigo que cai na terra não morrer, fica infecundo; mas, se morrer, produz muito fruto”. João 12:24

O Caos é o princípio e o fim – onde todas as formas voltarão a se dissolver – gerando um eterno ciclo de criação e destruição, ambos necessários para a formação do Universo. A constante contraposição entre a ordem e a desordem é que produz o equilíbrio. Podemos vislumbrar o Caos em tudo o que existe – para os egípcios, ele rodeia a criação ordenada – portanto, o Caos não é um estado que ocorreu no passado, ele também coexiste no presente.

“O caos subjaz à natureza e nela irrompe a todo momento, através dos mais variados fenômenos. Quando alguém é morto e sepultado, é o caos que retorna, transformando o corpo em matéria decomposta; quando a noite cai, é o caos que envolve a natureza com as trevas indiferenciadas do princípio. O mesmo se dá no inverno, quando a vegetação definha, e o sol parece desmaiar no firmamento. (…) Mudar, crescer, é deixar morrer uma parte de si mesmo para permitir o nascimento de um novo eu”. [6]

Divisor

Crítica sobre o filme Vingadores: Guerra Infinita, feita pelo Gabriel Gaspar do canal Acabou de Acabar, no Youtube. Conta com uma breve simbologia do vilão Thanos.

Trecho do filme Vingadores: Guerra Infinita, onde o personagem Ebony Maw fala sobre o equilíbrio do universo, logo após a aniquilação de um povo. É uma metáfora! Ou não.

Divisor

Dentre os muitos símbolos existentes do Caos, encontramos o fogo: ele tem o poder de transmutar, purificar, sublimar, dissolver as formas; graças ao domínio do fogo a humanidade foi capaz de perpetuar a vida. “O homem é fogo, diz São Martinho; sua lei, como a de todos os fogos, é a de dissolver (seu invólucro) e unir-se ao seu manancial do qual está separado”. [7]

Divisor

Linkin Park – Burn it Down

Divisor

A água também representa o Caos por causa de suas propriedades: ela é fluída, homogênea, indiferenciada, fértil; a vida em nosso planeta – assim como em diversos mitos – surgiu na água; somos feitos de água. “Mergulhar nas águas, para delas sair sem se dissolver totalmente, salvo por uma morte simbólica, é retornar às origens, carregar-se, de novo, num imenso reservatório de energia e nele beber uma força nova (banho, batismo, iniciação)”. [8]

Divisor

Red Hot Chilli Peppers – Parallel Universe

Divisor

Como anda o equilíbrio entre a ordem e a desordem na sua vida? Quando foi a última vez que você criou algo novo? Você tem utilizado a sua criatividade? Ou se conformou (entrou em uma fôrma)? Que tal se inspirar na força criativa do Caos para dar uma renovada em sua vida? Procure por novas experiências, ideias, amizades, livros, cursos… Permita que o Caos dissolva as grades da prisão que você criou para si mesmo, saia da caverna!

“Como nos consolar, a nós assassinos entre os assassinos? O mais forte e mais sagrado que o mundo até então possuíra sangrou inteiro sob os nossos punhais – quem nos limpará este sangue? Com que água poderíamos nos lavar? Que ritos expiatórios, que jogos sagrados teremos de inventar? A grandeza desse ato não é demasiado grande para nós? Não deveríamos nós mesmos nos tornar deuses, para ao menos parecer dignos dele? Nunca houve um ato maior – e quem vier depois de nós pertencerá, por causa desse ato, a uma história mais elevada que toda a história até então”. – Nietzsche [9]

Divisor

Referências Bibliográficas:

[1] Brandão, Junito de Souza. Mitologia Grega Volume 1.
[2] Hine, Phill. Caos Instantâneo.
[3] Morin, Edgar. Ciência com Consciência.
[4],[6] Farjani, Antonio. A Linguagem dos Deuses.
[5],[9] Nietzsche, Friedrich. A Gaia Ciência.
[7],[8] Chevalier, Jean; Gheerbrant, Alain. Dicionário de Símbolos.
https://pt.wikipedia.org/wiki/Caos_(mitologia)
https://razaoinadequada.com/2013/05/03/deus-esta-morto/
http://dulcemagalhaes.com.br/do-caos-se-faz-a-ordem/

Posts Relacionados:

Evolução Fractal e Coletiva por @paulomurilo
O caos criativo por @discernente
A origem do mundo e o primeiro Rei por @antigourmet

Divisor

assinatura

Divisor

ptgram power | faça parte | grupos | @brazine | @brazilians | @camoes | @dailycharity | @imagemvirtual | @msp-brasil | @ptgram-power

Divisor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *